Criar é preciso

Novas formas de adorar, novas possibilidades, novas formas de enxergar o louvor a Deus. Um tanto complexo… nós, jovens dessa geração, vivemos em um tempo em que a criatividade tem atingido muitas áreas, e com as igrejas evangélicas não seria diferente, mas a questão é: até onde viver essas novas formas de adorar a Deus são benefícios e onde elas começam a ser malefícios?

Existem igrejas espalhadas pelo mundo que desconhecem a palavra fronteira quando o assunto é adoração a Deus, existem igrejas na Austrália, como a Hillsong Church, que possuem em suas atividades, um ministério de adoração criativa, onde existem pessoas especializadas em pensar e colocar em prática novas maneiras de adorar a Deus, e nisso tudo envolvem áreas como arte e design criativo, dança conceitual profética, músicas novas e pensadas de uma forma bem peculiar, teatro, circo, performances artísticas e por aí vai. Acho muito válido trazer todas essa áreas de atuação pra dentro das igrejas e louvar a Deus com tudo isso, porque além de agradar o coração de Deus, faz com que as pessoas descubram novos dons e é uma abertura nova para que o Espírito atue. Muito bom. Mas até onde isso é pura benção? Será que existem falhas nesse novo sistema de adoração criativa? Penso que sim, todo sistema tem algum tipo de falha, nas igrejas não há como ser diferente.

Acredito que os problemas começam quando as possibilidades não tem mais limites, mas… ué (você pensa) a palavra de Deus não fala sobre a multiforme graça de Deus, que as formas de Deus se comunicar com o mundo não tem fronteiras e que não existem limites na adoração? Polêmico. Mas, e quando a essência… a bendita essência, se perde nisso tudo, inventamos moda com muitas coisas mas não aprendemos a adorar a Deus nem com o simples que nós temos. É tremendo ver igrejas que crescem e que se tornam referência quando o assunto é criatividade, mas algumas se perdem porque falta o principal, falta a intenção inicial de adoração, que não se obtêm com voz, com dança ou com performance nenhuma, mas vem do coração. A adoração criativa é algo que transforma, são pensamentos como esse que levou o evangelho às tevês, à internet, pensamentos inspirados por Deus, uma criatividade que nos faz romper barreiras.

Realmente eu também penso que não existem fronteiras na adoração a Deus, contudo isso tudo precisa ser construído com muita prudência, porque mal ou bem, ainda que tudo tenha sido criado por Deus, a influência do mundo em todas essas práticas ainda é forte. Isso ocorre muito na música também, mas não falo da influencia sadia, do aprendizado, eu falo da adaptação, da migração de conceitos que não podem ser levados para esses ministérios e acabam sendo. Começamos a levar o mundo para igreja quando não sabemos distinguir os valores que Deus nos mostra e os falsos valores que o mundo possui.

Existe um meio termo muito amplo nisso tudo e é nesse meio termo que precisamos andar, retendo o que é bom e usando isso pra glória de Deus. Criatividade é uma característica divina, adoramos a um Deus muito, mas muito criativo, por isso temos essa vontade de criar e recriar formas e maneiras de adorar a Ele. É preciso ter cautela, e não perder o que essencialmente simples na adoração a Deus…

VAMOS ADORAR A DEUS DE FORMA CRIATIVA… MAS CONSCIENTE…

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s