CANTO DA LEITURA

REFORMA HOJE

[Kalline Carvalho] Espanta-me o fato de não mais comemoramos a Reforma Protestante no mês de outubro. Conseguimos lembrar do Hallowen, da cultura norte-americana, mas sequer imaginamos que, nessa mesma data, reformistas cristãos se empenhavam para o retorno da igreja aos padrões bíblicos.

No dia 31 de Outubro de 1517, Lutero pregou as suas 95 teses na Catedral de Wittenbergporque acreditava que era melhor estarmos divididos pela verdade do que unidos pelo erro.

Hoje, os problemas enfrentados pelos reformadores ressurgem. Os elementos da pós-modernidade penetram nos cultos e nós nem percebemos. Proclamamos a liberdade de adoração e esquecemos que a nossa liberdade deve estar conformada pelos preceitos bíblicos para que, então, a nossa adoração seja agradável e aceitável a Deus.

O entendimento dos reformados sempre foi o de que somente o que está expressamente ordenado por Deus para fazer parte do seu culto público é que Lhe agrada, sendo o resto, aquilo que Ele não ordenou como elemento cúltico, abominável, tanto a prática em si quanto aquele que a pratica. Deus sempre levou seu culto muito asério e, por isso, oferece sérias advertências tanto no Antigo quanto no Novo Testamento: Lv 10:1 e 2 / 2 Cr 26:18 e 19 / Hb 12:28 e 29 / Sl.2:1

A igreja evangélica está em crise e, tendo consciência disso, autores como James M.Boyce, Michael Horton entre outros convocam todos aqueles que se consideram verdadeiros cristãos para uma REFORMA HOJE: “Convocamos a igreja em meio a nossa cultura moribunda para que se arrependa do seu mundanismo, para que recupere e confesse a verdade da Palavra de Deus como fizeram os Reformadores e para que veja essa verdade incorporada na doutrina, no culto e na vida.

O livro é resultado de uma compilação de textos que denunciam a tragédia do evangelicalismo moderno,em que o entretenimento substitui a edificação, e o paradoxo que presenciamos: um número cada vez maior de evangélicos cujos corações, contudo, não foram transformados pelo sangue de Jesus.

Ao fazerem o alerta a respeito do perigo das distorções que a Palavra de Deus está sofrendo, os autores, contudo, nos trazem uma palavra de ânimo, acreditando que é, sim, possível lutar pela verdade numa era de antiverdade.

Nossas igrejas precisam urgentemente de um reavivamento que não se confunde, evidentemente, com barulho. Reavivar é trazer de novo à memória e, pelo nosso contexto precisamos confessar: Sola Scriptura, SolusChristus, Sola Gratia, Sola Fide, Soli Deo gloria!!!

Kalline Carvalho é estudante de Direito e membro da 4ª Igreja Presbiteriana de JF

Anúncios

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s