Cultura

Cinema na Estação terá seis sessões gratuitas no Museu Ferroviário

(Assessoria Funalfa) Uma semana inteira de filmes para o público infantojuvenil, em duas sessões diárias e com entrada franca. Este é o projeto Cinema na Estação, que a Funalfa, por meio do Museu Ferroviário de Juiz de Fora, promove a partir da próxima segunda-feira, 25. As sessões, que integram a programação comemorativa do Mês da Criança, serão realizadas às 10h e às 14h, no anfiteatro do Museu Ferroviário (Avenida Brasil 2001 – Centro).

 

Confira a programação:

* Dia 25 – segunda-feira

“Planeta 51” (Planet 51, ESPANHA, 2009, 91 min.)

 

Gênero: Animação Direção: Jorge Blanco Sinopse: O capitão Charles T. Baker acredita ser o primeiro ser vivo a chegar ao planeta 51. Entretanto, ao pousar, descobre estar enganado. O planeta é habitado por uma grande população de seres verdes, que temem a chegada do alienígena: o próprio capitão. Tendo apenas a ajuda de seu robô Rover e Lem, um novo amigo, o capitão precisa evitar que se torne mais um integrante do Museu de Alienígenas Invasores do planeta 51.

* Dia 26 – terça-feira

“Tá chovendo hambúrguer” (Cloudy with a Chance of Meatballs, EUA, 2009, 90 min.)

Gênero: Animação Direção: Chris Miller , Phil Lord Sinopse: Flint Lockwood é um jovem cientista que sonha criar algo que faça com que seja reconhecido pela população de Boca Grande, uma pequena ilha no Atlântico. Um dia ele consegue descobrir uma forma de transformar água em comida, só que precisa de bastante eletricidade para colocá-la em funcionamento. Ao tentar usar a energia da geradora local, ele perde o controle da invenção e ela ruma para o céu. Para piorar, a confusão que ele cria destroi um parque de diversões, o grande trunfo do prefeito Shelbourn para melhorar a economia local. Flint acredita ter perdido a máquina, mas repentinamente começa a chover hambúrgueres em toda a cidade.

* Dia 27 – quarta-feira

“O fantástico Sr. Raposo”( The Fantastic Mr. Fox, EUA, 2009, 87 min.)

Gênero: Animação Direção: Wes Anderson Sinopse: O Sr. Raposo, a Sra. Raposa e seu filho vão morar em uma árvore, localizada em uma colina. Lá eles têm como vizinhos o Coelho, o Texugo e a Doninha, entre outros animais, todos com suas respectivas famílias. O Sr. Raposo prometeu à esposa que deixaria a vida de roubos de galinhas, já que ela estava grávida. Desde então, ele iniciou uma respeitável carreira de colunista de jornal. Porém, a proximidade do novo lar com as fazendas de Boggis, Bunce e Bean faz com que volte à velha vida, às escondidas. Só que logo o trio de fazendeiros se une para capturá-lo.

* Dia 28 – quinta-feira

“Alvin e os esquilos 2” (Alvin and The Chipmunks II, EUA, 2010, 88 min.)

Gênero: Animação Direção: Tim Hill Sinopse: Novamente o filme acompanha os três esquilos cantores, chamados Alvin, Simon e Theodore, que desta vez terão de enfrentar uma banda rival com integrantes da mesma espécie, chamadas de: As Esquiletes.

* Dia 29 – sexta-feira

“Deu a louca na Branca de Neve” (Happily N’Ever After, EUA, 2009, 75 min.)

Gênero: Animação Direção: Steven E. Gordon, Boyd Kirkland Sinopse: Quando o pai de Branca de Neve se encanta por Lady Vain, a bruxa que pretende governar o reino, Branca de Neve torna-se uma ameaça, e logo é enganada pela bruxa, que começa a espalhar boatos aos habitantes da cidade, forçando-a a fugir. Com a reconstrução da casa dos Três Porquinhos e a ajuda aos Sete Anões, Branca de Neve aprende o valor de ajudar os outros. Agora, apenas Branca de Neve pode evitar que seu pai caia nas garras malvadas de Lady Vain.

*******************

“Um novo olhar sobre a cidade”:

Funalfa divulga vencedores do concurso Foto Digital

Este slideshow necessita de JavaScript.

O estudante Cael Barbosa Gracie Côrte Imperial é o vencedor do 1º Concurso Municipal de Fotografia Digital, promovido pela Prefeitura de Juiz de Fora, através da Funalfa. Ele registrou uma revoada de pombos em frente a um dos prédios históricos do complexo de bens tombados da Praça da Estação. Com o tema “Um novo olhar sobre a cidade”, o concurso fez parte das comemorações dos 160 anos de Juiz de Fora, e teve como objetivo incentivar crianças e adolescentes a refletirem sobre o patrimônio material e imaterial e o cotidiano da cidade, captando, por meio de câmaras digitais ou aparelhos celulares, fragmentos dessa realidade.

 

Puderam ser inscrever estudantes do 6º ano do ensino fundamental ao 3º ano do ensino médio. Além de Cael, outros quatro participantes foram selecionados e serão premiados: Guilherme Jacob de Oliveira (2º lugar), que registrou prédios da Avenida Rio Branco, com o Edifício Clube de Juiz de Fora em primeiro plano; Thays de Paula da Silva (3º lugar), autora de uma imagem do Paço Municipal, com o movimento do trânsito e dos pedestres ao cair da noite; Mateus de Mattos Sales (4º lugar), que flagrou detalhes os arquitetônicos e o ar bucólico do antigo prédio da Estrada de Ferro Central do Brasil, em preto e branco; e Marcelly Lopes Acorone de Abreu, que retratou a cúpula de um edifício histórico do complexo da Praça da Estação (esquina com a Rua Halfeld), no qual destacam-se galhos secos e retorcidos de uma árvore.

A Comissão Julgadora instituiu menção honrosa para trabalhos de Gabriel de Oliveira Domingues de Souza, Pedro Santiago Pereira Zanelatto Carneiro, Simone de Albuquerque Souza Martins, Luiza Bastos Freesz, Verônica Rodrigues Castro, João Vitor dos Santos Moraes, Mateus de Mattos Sales, Cael Barbosa Gracie Côrte Imperial, Guilherme Jacob de Oliveira e Marcelly Lopes Acorone de Abreu. As imagens vencedoras e as que receberam menção honrosa vão integrar uma exposição a ser aberta em novembro no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (CCBM).

Cael Barbosa receberá como prêmio uma câmara digital, além de certificado e 30 revelações de fotos. Guilherme Jacob vai ganhar uma câmera digital, certificado e 15 revelações de fotos; já Thays de Paula Silva terá direito a câmera digital e certificado. Já o quarto e quinto colocados receberão cada um, um pen drive e certificado. (Fonte: Funalfa)

********************

“O que se olha, mas não se vê”: Mostra no CCBM revela o cotidiano despercebido

 

CCBM

Mostra explora imagens do cotidiano

Você já reparou a beleza plástica de uma espiral de caderno? Já percebeu a harmonia simétrica de objetos simples como um grampeador ou o interior de um fichário? Peças que fazem parte do nosso cotidiano, mas, frequentemente, passam despercebidos aos nossos olhos são o mote da exposição “O que se olha, mas não se vê”, que o fotógrafo Fabio Giorgi abre na próxima quinta-feira, dia 16, às 20h, na Galeria Celina Bracher, do Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (CCBM). Em sua quarta exposição, o artista reúne 29 fotografias, nos tamanhos 30cm x40cm e 25 cm x38 cm.

“A proposta é chamar a atenção para pequenos detalhes que fogem ao olhar, devido ao ritmo frenético da vida moderna. A velocidade nos deixa desatentos, e há tanta beleza nas coisas simples que nos rodeiam. O que quero é levar o espectador a apurar os olhos, ver o que está à sua volta”, define Fabio. Formado em direito, ele abandonou a profissão, há cinco anos, para dedicar-se integralmente à fotografia. Todos os clics da mostra foram realizados no primeiro semestre deste ano, e o público poderá adquirir algumas das imagens expostas.

“O que se olha, mas não se vê” fica em cartaz até o dia 7 de outubro, com visitação gratuita de terça-feira a sexta-feira, das 9h às 21h, e aos sábados e domingos, das 10h às 16h. (Fonte: Funalfa)

*************

Dez mil pessoas prestigiam o 4º Festival Nacional de Teatro de JF

Cerca de dez mil pessoas prestigiaram a programação do 4º Festival Nacional de Teatro de Juiz de Fora, realizado entre os dias 30 de agosto e 7 de setembro. Durante nove dias, o público pode assistir 45 apresentações, entre Espetáculos Convidados, Mostra Competitiva, Intervenções Artísticas, Circuito Off, Mostra de Curtas Performances, além de um Baile de Máscaras e uma exposição com o mesmo tema, no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (CCBM). Já a programação paralela ofereceu cinco oficinas e um seminário.

Nesta edição, a Mostra Competitiva recebeu 57 inscrições de 21 cidades em sete estados brasileiros. Treze montagens concorreram nas categorias adulto e infantil. O superintendente da Funalfa, Toninho Dutra, faz uma avaliação positiva do evento, observando que o público do festival vem crescendo a cada ano.  Ele destaca, ainda, a diversidade de propostas cênicas. “Para mim um bom festival é o que congrega diferentes linguagens e abre espaço para experimentações, o que revela a capacidade infinita de renovação da arte cênica.”

Durante o 4º Festival Nacional de Teatro de Juiz de Fora, o prefeito Custódio Mattos e Toninho Dutra anunciaram a retomada das obras do Teatro Paschoal Carlos Magno, que será finalizado quase 30 anos depois do início dos trabalhos. (Fonte: Funalfa)

*****************

4º Festival Nacional de Teatro de Juiz de Fora

“Meu dia perfeito” é destaque na programação de amanhã

 

Meu Dia Perfeito

"Meu dia perfeito" é a atração do festival nessa quarta

O espetáculo “Meu dia perfeito”, com o Grupo/Espaço Mezcla é o destaque de amanhã, 1º de setembro, na programação do 4º Festival Nacional de Teatro de Juiz de Fora. A montagem, escrita e dirigida por Ricardo Martins,  será apresentada às 20h, no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas (CCBM). Os ingressos estão disponíveis para troca por livros de literatura em bom estado de conservação, no andar térreo da Funalfa (Avenida Rio Branco 2.234 – Parque Halfeld – Centro), das 9h às 17h. Cada livro dá direito a um convite e cada pessoa pode retirar até quatro convites por espetáculo.

Em “Meu dia perfeito”, o ator Marcos Marinho é o Senhor M, um solitário professor de línguas que passa os domingos na cobertura de seu prédio tentando comunicar-se com algum vizinho. Trata-se de um palhaço, um perdedor que só não perde a capacidade de sonhar e a vontade de brincar. A peça brinca com alguns dados da vida do ator: idade, estatura, gosto musical e lembranças da infância, além de objetos pessoais e sua experiência como palhaço.

Marinho e Ricardo Martins, que também é ator, trabalharam durante cerca de 15 meses para escrever e ensaiar roteiro, textos, cenas e a sonoplastia que pontua o espetáculo. O tema central – e mais universal – é a solidão na multidão, situação típica das grandes cidades. Outros temas são abordados de forma lúdica e bem humorada, como a dificuldade de comunicação, o medo de tempestades, o tédio dos domingos ao entardecer, a inabilidade com o uso de objetos do cotidiano e a necessidade de aceitação por parte do outro.

O figurino, o cenário, a sonoplastia e os objetos, bem como algumas técnicas corporais e vocais ajudam na composição deste personagem tão universal (ficcional) e, ao mesmo tempo, tão pessoal e revelador do ator que está em cena. “Meu dia perfeito” integra o Circuito Off do 4º Festival Nacional de Teatro de Juiz de Fora. (Fonte: Funalfa/PJF)

**********************

Monólogo de Beth Goulart abre o 4º Festival Nacional de Teatro de Juiz de Fora

 

Simplesmente eu, Clarice Lispector

"Simplesmente eu, Clarice Lispector" abre as programações

Destaque da temporada 2010, o monólogo “Simplesmente eu, Clarice Lispector”, assistido por mais de 60.500 pessoas, marca a abertura oficial do 4º Festival Nacional de Teatro de Juiz de Fora. O espetáculo, estrelado por Beth Goulart, que também assina a adaptação e a direção, será apresentado na próxima segunda-feira, dia 30, às 20h, no Cine-Theatro Central. Os ingressos são limitados e devem ser trocados por um livro de literatura em bom estado, na sede da Fundação Cultural Alfredo Ferreira Lage – Funalfa (Avenida Rio Branco, 2.234 – Parque Halfeld – Centro), a partir de amanhã, 26, das 9h às 17h. Promovido pela Prefeitura de Juiz de Fora, o festival é a maior mostra de artes cênicas da região e terá 45 apresentações, entre espetáculos convidados (três), Mostra Competitiva (14), Intervenções Artísticas (oito), Circuito Off (dois) e Mostra de Curtas Performances (18). Na noite de abertura, também será feito o anúncio oficial da liberação de recursos para a conclusão das obras do Teatro Paschoal Carlos Magno.

Sucesso de público e crítica, “Simplesmente eu, Clarice Lispector” rendeu à protagonista dois prêmios: o Shell 2009 de melhor atriz e o APTR 2010 (Associação de Produtores de Teatro do Rio de Janeiro). Na montagem, supervisionada por Amir Haddad, Beth Goulart busca um retrato extremamente pessoal de Clarice Lispector (1920-1977), levando a plateia a conhecer o universo misterioso da escritora, através de quatro mulheres de sua ficção.

Joana, do romance “Perto do Coração Selvagem”, é inquieta e criativa. Ana, do conto “Amor”, tem a rotina quebrada ao se impressionar  com um homem cego que masca chicletes na rua. Lóri, de “Uma aprendizagem ou o Livro dos Prazeres”, é uma professora primária em metamorfose, que se prepara para descobrir o amor. A quarta mulher, sem nome, aparece no conto “Perdoando Deus”, onde se deixa mergulhar na liberdade, enquanto passeia pela Zona Sul do Rio de Janeiro. Essas mulheres, que para Beth Goulart, “representam a própria Clarice”, foram escolhidas para apresentar ao público um dos maiores nomes da literatura brasileira. (Fonte: Funalfa/PJF)

*****************

Câmera e celulares em ação!

Terminam na próxima terça-feira, 31, as inscrições para o concurso “Foto Digital – um novo olhar sobre a cidade”. O objetivo é despertar nos participantes o olhar para temas que reflitam o patrimônio e o cotidiano da cidade.

As fotos podem ser clicadas por câmeras digitais ou aparelhos celulares. As inscrições são gratuitas e podem ser feitas no CCBM (Av. Getúlio Vargas, 200), de terça a sexta-feira, das 9h às 12h e das 14h às 18h.

Os interessados devem estar cursando do 6º ano do ensino fundamental ao 3º ano do ensino médio. A imagem deverá ter como tema a cidade de Juiz de Fora, seu patrimônio material ou imaterial, personalidades ou personagens do cotidiano da cidade. Cada concorrente pode inscrever até cinco fotos, em preto e branco ou colorida.

A foto deve ser entregue em envelope pardo não transparente e não lacrado, identificado na parte externa da seguinte forma: “Concurso Foto Digital – um novo olhar sobre a cidade” e com o nome completo do concorrente. O envelope deverá conter: a fotografia em versão impressa, no tamanho 20 cm X 25 cm; um CD contendo a imagem; a ficha de inscrição preenchida; cópia do documento de identidade; cópia do comprovante de residência e uma declaração da instituição de ensino que o concorrente estiver matriculado.

As cinco melhores fotos serão premiadas e os trabalhos que forem selecionados irão compor a exposição “Foto Digital”, a ser realizada em setembro, no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas. O primeiro colocado receberá uma câmera digital, certificado e 30 revelações de fotos. O segundo lugar será premiado com uma câmera digital, certificado e 15 revelações de fotos e o terceiro colocado ganhará uma câmera digital e certificado. O quarto e quinto lugares serão premiados com pen drive e certificado.  O regulamento completo e a ficha de inscrição estão disponíveis no site da Prefeitura – http://www.pjf.mg.gov.br – e no Centro Cultural Bernardo Mascarenhas. (Fonte: Funalfa/PJF – adaptado)

 

Mostra destaca cinema de Pedro Almodóvar

O brega, o kitsch e as cores genuínas do diretor espanhol Pedro Almodóvar serão destacados na mostra “A essência de Almodóvar”, que a Funalfa promove a partir do próximo dia 18, no Anfiteatro João Carriço (Av. Rio Branco, 2.234 – Centro). Todas as quartas-feiras, até o dia 29 de setembro, o público tem um encontro marcado com algumas das produções que caracterizaram a obra do cineasta e foram responsáveis por seu sucesso na Europa e em todo o mundo. As sessões são gratuitas e começam sempre às 19h.

Indicado ao Oscar de Melhor Diretor em 2002, Almodóvar trilhou um caminho curioso até chegar ao estrelato. Trabalhou durante 12 anos numa empresa de telefonia, já fez parte de uma banda de glam rock e atuou em um grupo de teatro experimental. Atualmente, é considerado o cineasta espanhol mais reconhecido do mundo e goza de grande prestígio no mundo da sétima arte.

O artista se destacou durante os anos de 1970, quando foi figura importante do “La Movida Madrileña”, movimento de renascimento da cultura espanhola, após a queda do Regime de Franco. Realizou curtas em super-8 e sempre abordou em seus filmes temas controversos, como sexo, drogas e religião. Seu reconhecimento fora das fronteiras europeias veio em 1988, com o longa “Mulheres à beira de um ataque de nervos”, indicado ao Oscar de melhor filme estrangeiro em 1989.

A mostra “A essência de Almodóvar” destaca alguns dos filmes do início de sua carreira, retratando um universo de cores vibrantes, eloquentes, de tom melodramático, bordado com o que há de mais marcante na música popular espanhola. Suas protagonistas são personagens marcantes, cheias de paixão e desejo, muitas vezes, enfrentando crises existenciais.

:: Programação ::

18/08 – Mulheres à beira de um ataque de nervos

25/08 – Pepi, Luci, Bom e outras garotas de montão

01/09 – Labirinto de paixões

08/09 – Maus hábitos

15/09 – O que eu fiz para merecer isto?

29/09 – A lei do desejo

Fonte: Funalfa (PJF)

Casa de Cultura recebe mais uma vez o espetáculo “Riso & Prosa”

A Casa de Cultura da Universidade Federal de Juiz de Fora (UFJF) será novamente palco neste fim de semana, dias 14 e 15, às 20h, do espetáculo “Riso & Prosa”, que tem Fabrício Sereno como diretor e intérprete e Melissa Travagini na sonoplastia e na assistência de direção.

Riso & Prosa, que mescla a comicidade verbal com a visual, surgiu a partir dos estudos de humor desenvolvidos há anos por Fabrício. O ator utiliza a tradicional técnica da palhaçaria, que é a de fazer rir de si mesmo.

O espetáculo é basicamente composto por histórias próprias da vida do ator/palhaço, contadas por meio de esquetes de técnicas cômicas variadas, como stand-up, improvisação e comicidade física.

Os ingressos estão fixados em: R$ 20, inteira; R$ 10, meia para estudantes
e terceira idade; e R$ 8, ingressos antecipados. A Casa de Cultura fica localizada na Avenida Rio Branco, 3.372.

 

Fonte: UFJF

 

“Meu dia perfeito” é destaque na programação de amanhã

6 pensamentos sobre “Cultura

  1. Pingback: Cultura também é no Blog da IW « Blog da Revista Impacto World

  2. Pingback: Câmera e celulares em ação! « Blog da Revista Impacto World

  3. Pingback: Cultura: Monólogo de Beth Goulart abre o 4º Festival Nacional de Teatro de Juiz de Fora « Blog da Revista Impacto World

  4. Pingback: 4º Festival Nacional de Teatro de JF « Blog da Revista Impacto World

  5. Pingback: Dez mil pessoas prestigiam o 4º Festival Nacional de Teatro de JF « Blog da Revista Impacto World

  6. Pingback: “O que se olha, mas não se vê”: Mostra no CCBM revela o cotidiano despercebido « Blog da Revista Impacto World

Deixe um comentário

Preencha os seus dados abaixo ou clique em um ícone para log in:

Logotipo do WordPress.com

Você está comentando utilizando sua conta WordPress.com. Sair / Alterar )

Imagem do Twitter

Você está comentando utilizando sua conta Twitter. Sair / Alterar )

Foto do Facebook

Você está comentando utilizando sua conta Facebook. Sair / Alterar )

Foto do Google+

Você está comentando utilizando sua conta Google+. Sair / Alterar )

Conectando a %s